Tarso Genro afirma que julgamento de Lula será o julgamento da própria Constituição brasileira

 

O ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, afirmou na manhã desta quinta-feira (11/1) que o julgamento do ex-presidente Lula, no dia 24 de janeiro, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, será o julgamento da própria Constituição Brasileira e do direito à ampla defesa. Tarso considera  nulo o processo contra o ex-presidente Lula, pois foi instalado por uma jurisdição nacional que ninguém detém pela Constituição Brasileira.  "Este processo faz parte de uma modelagem para formar um regime de exceção no Brasil e se trata de uma perseguição judicial para anular uma liderança política”, advertiu o ex-governador.

 

Em relação às manifestações previstas para ocorrerem em Porto Alegre, Tarso lembrou que os apoiadores do ex-presidente Lula e todos os cidadãos brasileiros têm o direito de se manifestar e de permanecer em vigília, com respeito e dentro da ordem democrática. “É preciso dizer que se trata de um julgamento da democracia brasileira e não do julgamento do ex-presidente Lula. Se absolverem Lula, a Constituição Brasileira estará salva. Mas se eles mantiverem a sentença, é porque vão tentar perpetuar no Brasil um estado de exceção que já está em desenvolvimento no nosso país", argumentou o ex-governador.

 

tarso.png