Caminhada em defesa da democracia já reúne mais de dois mil manifestantes


A caminhada do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da Via Campesina começou, na manhã desta segunda-feira (22), na BR-290, no trecho da Ponte do Guaíba, em direção à Porto Alegre, tendo em sua linha de frente as mulheres do Movimento e da Secretaria Estadual de Mulheres do Partido dos Trabalhadores (PT).

São mais de dois mil integrantes do movimento, de 13 municípios gaúchos como Sarandi, Pontão, Pelotas, Hulha Negra, Bagé, Piratini, Cruz Alta, Palmitinho e Jóia que farão um percurso a pé de mais de sete quilômetros, em direção à Porto Alegre para esta caminhada pela democracia e pelo direito do ex-presidente Lula ser candidato à presidência da república.


O ex-governador Olívio Dutra engrossa as fileiras e diz que a pressão pela democracia é legítima, está implícita na constituição. “O povo quer uma justiça qualificada, bem feita, e para isso os três poderes, Legislativo, Executivo e Judiciário devem estar unidos em uma só direção. Manter a democracia é primordial para o povo”, afirmou.


O presidente do Partidos dos Trabalhadores de Porto Alegre, Rodrigo Dilelo, e o presidente da CUT, Claudir Nespolo, acompanham a marcha que deve durar duas horas, até a chegada ao Anfiteatro Por do Sol, em Porto Alegre.

Foto Joana Rodrigues Caminhada.jpg