Entidades anunciam local de acampamento, acordo para segurança e possibilidade da vinda de Lula

 

 Em coletiva, realizada na tarde desta sexta-feira (19), líderes da Frente Brasil Popular RS anunciaram um acordo fechado com órgãos de segurança pública do Estado para garantir “a paz” durante as manifestações em Porto Alegre, o local - também acordado - para a alocação do acampamento e vigília programados pelos movimentos sociais e, ainda, a grande probabilidade da presença do ex-presidente Lula no ato dia 23, às 18 horas na Esquina Democrática, no centro da capital gaúcha.
 Segundo o vice-presidente do PT/RS, Carlos Pestana, há uma forte expectativa das entidades organizadoras e a “enorme vontade” do próprio Lula em estar aqui em, pelo menos, uma das várias manifestações preparadas para os dias 22, 23 e 24. “A ideia é que ele participe deste ato do dia 23 em Porto Alegre e volte para São Paulo a fim de participar das atividades na Avenida Paulista”, informou Pestana. 


Outra novidade anunciada foi o local onde será o acampamento do Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) e onde também ocorrerá a vigília que inicia na noite do dia 23, véspera do julgamento do recurso do ex-presidente Lula no TFR4. Será na área do Anfiteatro Por-do-Sol, localizado na Avenida Edvaldo Pereira Paiva, e que terá todas as condições de segurança, conforme acordo firmado entre as entidades organizadoras das manifestações pró-Lula, Ministério Público Federal, Secretaria de Segurança Pública e Prefeitura de Porto Alegre. O local, além de oferecer espaço amplo, fica bem próximo ao TRF4, onde acontecerá o julgamento. 


Cedenir de Oliveira, do MST, e Claudir Nespolo, da CUT, aproveitaram a coletiva para conclamar a militância para participar do acampamento e dos atos, junto com seus familiares. “Nós vamos colaborar com a Segurança Pública para identificar qualquer tipo de anormalidade e atitude que fuja ao nosso propósito de fazermos manifestações pacíficas”, disse Claudir, anunciando que haverá dois mil sindicalistas preparados para a tarefa. Até o momento estão confirmadas 225 caravanas, que virão de vários cidades do País, Argentina e Uruguai.


A coordenação dos movimentos acompanhará a chegada dos apoiadores do MST na manhã do dia 22, que entram em Porto Alegre pela Ponte do Guaíba, seguem pela Avenida da Legalidade, Borges de Medeiros e seguem direto para a área do Anfiteatro Por-do-Sol. Silvana Conti, vice-presidenta da CTB, reforçou o caráter pacífico dos atos em Porto Alegre, repetindo o que está virando quase um mantra entre as entidades que compõem a Frente Brasil Popular, Frente Povo sem Medo e partidos políticos: “Quem vem aqui defender a democracia, não vem disposto a acabar com ela”.

local acampamento.jpg