Atividades dos dias 23 e 24 serão marcantes na defesa da democracia do povo brasileiro

 

Nesta quarta-feira (17), representantes de partidos e Movimentos Sociais participaram de uma coletiva de imprensa, na sede da Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetrafi), em Porto Alegre, para falar sobre os Atos que acontecerão nos próximos dias na cidade, em função do julgamento do ex-presidente Lula pelo TRF4.

 

A mesa unificada contou com as presenças de representantes do Partido Comunista do Brasil  (PC do B), com Abigail Pereira, Silvana Conti, falando pela Central de trabalhadores e trabalhadoras do Brasil (CTB), Carlos Pestana Neto, Vice-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Claudir Nespolo, falando pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), e Nágela Maria, pela União Nacional dos Estudantes (UNE).

 

Silvana Conti (CTB), em suas considerações, afirmou que os Atos dos dias 23 e 24, irão muito além da política, pois  “defender Lula, é defender a democracia do povo brasileiro”. Abigail Pereira (PC do B), disse que “nossa pauta é por um julgamento justo para Lula, só assim combateremos o obscurantismo, e o fascismo que se impõe em nosso país”.  Destacou que Porto Alegre será palco de um grande acontecimento, e o sucesso será a condução deste fato se dará de forma ordeira, lembrando que a militância de seu partido viveu anos, em tempos atrás,  na clandestinidade e enfrentando a ditadura.

 

Pestana (PT), afirmou que o Partido dos Trabalhadores está se organizando para o evento de forma pacífica, e o que todos queremos é o direito do povo poder escolher seus programas, defendendo sempre a democracia, de forma aberta. Claudir Nespolo , presidente da CUT, na mesma linha afirmou que a democracia é um valor, e defendê-la será sempre o foco da entidade. Existem setores que tentam criar um clima de animosidade inexistente por parte dos Movimentos Sociais, e isto não reflete a verdade. “Estaremos nas ruas para defender a democracia passa por se contrapor à incursão forçada do judiciário, indo contra a Constituição Federal. O interesse é acabar com os direitos, e isso não aceitaremos, afirmou”.

 

Nájela Maria (UNE), afirmou  que a entidade estudantil estará nas ruas para defender o estado democrático de direito, e a liberdade de expressão.

coletiva.jpg